O Hobbit - RPG

''Um mundo magico, uma jornada inesperada na terra media''

Voltei evento... gracas a acontecimentos un meio exercito Ork se dirije as planices de Roihan todos aqueles que oferecerem ajuda seram recompencados oferecer ajuda no palacio do rei..

    A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado!

    Arathorn Carämille
    Arathorn Carämille

    Mensagens : 120
    Data de inscrição : 29/12/2012
    Idade : 22

    Ficha do personagem
    Nome: Turüm carämille
    exp points:
    A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado! Left_bar_bleue1489/1500A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado! Empty_bar_bleue  (1489/1500)
    Classe: Mestre de armas

    A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado! Empty A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado!

    Mensagem  Arathorn Carämille em Sab Jan 12, 2013 9:43 pm

    Eu vou narrar essa historia, porque bom alguém deve fazê-lo afinal essa e uma das minhas preferidas porque tudo que foi feito nela foi em meu nome. Como assim quem sou eu? Eu sou a lua! Eu vi tudo e agora irei contar tudo! Assim começa nossa historia em Mântua a cidade mais bela da face da terra. Prestem muita atenção, pois não irei repetir o que aconteceu aquela noite!

    Era uma noite de inverno particularmente fria, não sequer uma nuvem no céu, a lua estava cheia e tinha uns estranhos reflexos avermelhados que faziam parecer que me tivessem ferida, os três lagos que cercavam a magnifica cidade refletia minha luz pálida de lua cheia, os castelos em estilo romano que adornavam a cidade se erguiam firme e poderosos como a desafiar o céu. Imponentes porem desinformados das tragédias que estavam para acontecer naquele lugar, a cidade dos poetas não sonhava e nem mesmo desejava de alguma forma sonhar com o que estava para acontecer ali naquela noite em seu solo quase sagrado. O sino da igreja de santo André tocou doze vezes quebrando aquele silencio magico na qual caíra toda a cidade e no estante que o ultimo toque cessou uma sombra passou impedindo meus raios prateados de atingir a superfície da terra por alguns segundos. Tal sombra era à sombra de Boris, o que essa cara sim Boris o "imaculado" sim ele mais não interrompa mais, por favor, como dizia a sombra era de Boris que chegava cidade. Boris era alto e musculoso, sua pele era clara a tal ponto que parecia gelo puro que não derretia há anos, tinha cabelos negros como o pelo do próprio Cérbero, seus olhos eram perfeitamente inexpressivos e negros como o abismo e profundos como o desespero de quem entra em seu caminho, sua boca mais parecia um rasgo feito em uma boneca de retalhos exibia um sorriso triunfante a arrogante, sobre seu corpo uma armadura completamente negra com detalhes em rubi, e em sua mão o machado que o rendera tão famoso era esplendidamente grande e lembrava uma guilhotina de execuções, este era maravilhosamente simples e transmitia um senso estético que somente a simplicidade pode expressar.

    O machado estava coberto de sangue, sangue dos tolos que haviam ousado entrar em seu caminho e agora jaziam não muito longe, pelo menos os pedaços que restavam porque haviam caído perante ele em um piscar de olhos. ele se dirigiu a passos largos para o castelo de San-Giorgio que tantas batalhas vira mais nunca uma como aquela que estava para ocorrer, dois “homens” o aguardavam na ponte levadiça de tal fascinante castelo um deles Boris conhecia e era Fausto “cavaleiro de aço” o outro Boris não conhecia, era um estranho e como tal não merecia as atenções do "imaculado" e nem as nossas, mais o "desconhecido não estava de acordo e olhava para Boris com olhar decidido e com a sua alabarda em uma das mãos pronta para decapitar o nosso tão festejado protagonista do capitulo.

    –se vocês largarem as armas e abrirem caminho, prometo sobre meu nome que não acontecerá nada a vocês-Disse Boris sorrindo amistosamente e olhando para Fausto que tinha a espada ainda na bainha, mais o desconhecido da alabarda soltou uma gargalhada bem gostosa de se ouvir, quanto menos para nos pois Boris não gostou nada de tal gargalhada e com um movimento quase imperceptível da mão fatiou o “Mr. gargalhada gostosa” em dois na altura dos órgãos reprodutores. Infelizmente para nos e quase felizmente para Boris a gargalhada sumiu dê repente como aparecera, o Desconhecido senhor olhou incrédulo para suas pernas que agora se separava bizarramente de seu corpo e "Glock!" caiu para frente fazendo um barulho muito semelhante ao do estrume que cai em uma privada seu sangue voou por todo lado sujando os dois homens que restavam em pé um inconveniente não calculado que somado ao fato que Mr. gargalhada agora se “digi evoluía” para “Mr Gritos desumanos de dor” fez o mau humor de Boris crescer assustadoramente.


    Fausto estava olhando a cena, Sim este Fausto mesmo o "cavaleiro de ferro" em pessoa, já te disse pra não interromper. Bom Nosso amigo fausto calmamente extraiu a espada da bainha, olhando atentamente para notar um mínimo movimento de Boris, e com um gesto quase displicente separou a mandíbula do resto da cabeça de “Mr. Desconhecido” este ultimo ficou tão surpreso com tal ação que por alguns segundos se esqueceu de morrer e continuou gritando mais logo se lembrou de ter a cabeça separada do corpo o que abaixou de muito os decibéis produzidos por ele e aumentou de muito o humor de Boris, Ora Boris também ficou surpreso com a ação de Fausto, mas isso ele fez alguns segundos antes de Fausto completar sua ação. Fausto continuava olhando atentamente o imóvel Boris e com movimentos calmos limpou a espada e guardou novamente na bainha dela e começou a falar:

    – Sua oferta e muito tentadora porem tenho uma oferta que será mais proveitosa, esta disposto a ouvir?-

    Fausto se mexia em câmera lenta como aqueles bizarros momentos em que te dizem de não fazer movimentos bruscos, Boris sorriu pois uma oferta era tudo de que precisava no momento pois mesmo se considerando imbatível e com alguma razão diria também, sabia que Fausto era um tipo muito duro e que mesmo vencendo e considerara sua vitória como algo já previsto não sairia completamente indene de tal luta, e fausto não era certo o objetivo, e o verdadeiro adeversario era mais potente que o senhor cavaleiro de ferro e o asperaria assim que aquela "discução"

    –Sim, estou disposto a ouvi-la e muito tentado a aceita-la sem ouvi-la mais por favor prosiga. –

    Disse Boris com um sorriso esplendidamente grande no rosto, e sentindo seu humor subir nas estrelas.

    –Bom, quero sentar no trono a tua direita uma vez que você tiver vencido essa guerra. –

    –Seria uma proposta razoável se não fosse pelo fato que esse lugar pertence a meu irmão por direito e cabe a ele poder ceder esse direito, então pegue sua espada pois hoje você ira banquetear carne fresca no inferno Fausto-

    Boris fez um movimento circular com o seu machado que ganhando uma velocidade incrível e zumbindo no ar foi se encontrar diretamente com a espada prontamente extrata e colocada no lugar certo para evitar a decapitação do nosso querido amigo “cavaleiro de ferro’’.

    este capitulo se conclui assim, com o inicio de uma batalha para deixar você, sim você com vontade de ler o próximo, Eu sou a lua e nada pode fugir ao meu olhar.


    . . .
    A sombra da lua. capitulo1: surpresa! voce acaba de ser fatiado! 1299378_o

    Lasciate le esperanze o voi che mi afrontate

      Data/hora atual: Sab Ago 24, 2019 12:30 am